Cansei de ser sexy?!

- Categoria: Papo de Menina

“Como assim?!”, a senhora pensa. Calma, explicarei tim tim por tim tim e colocando os pingos nos “is”.
Deixarei essa cozinha mais apimentada, já que o nome do blog tem Pimenta e essa postagem é especial para as mulheres de vinte, trinta, quarenta, cinqüenta, oitenta e até a morte nos enterre.
Por que acontece ué… Uma hora você casa e cansa de ser sexy.
Vamos por parte, ainda sou uma mulher que curte a lua-de-mel, não tenho filhos e nem cachorros para cuidar. Só que conheço histórias e estórias de amigas minhas, mulheres casadas, fazendo bodas de não sei o que, com filhos, a beira de um ataque de nervos e se perguntando “cansei de ser sexy?!”.
Eu lembro perfeitamente a época de namoro e o efeito faísca “encostou, pega fogo e demora a apagar”. Ui, tudo de bom, mas com o passar dos anos às coisas mudam… para melhor!
Não temos mais problemas com o tempo: de ir rápido para não perder o último trem, olhar para os lados enquanto namora na escada do prédio e principalmente o tempo que levamos para conquistar o affair.
Na conquista, fazemos de tudo: usamos brincos, meia arrastão, perfume caro, saia curta, peruca e salto alto.
É, somos perigosas!
Super perigosas, até o ponto que casou e você mudou…
Os primeiros anos de um casamento é a lua de mel, com direito a “benzinho” para cá ou “benzinho” para lá. Uma hora aquela fantasia vermelha é esquecida em alguma gaveta do armário ou em um saco preto de roupas que não é para doar. O dia-dia acaba com quaisquer esperanças de encontrar com o seu marido na portaria do prédio e começar (ou quem sabe terminar) o assunto no elevador. Ai surge os filhos… enjôos, barriga, auto estima lá embaixo por que está gorda e muito sono. Quando nasce, quem falou que existe tempo para uma super mega hiper produção fatale?
A criança sempre bate na porta do banheiro, chorando e querendo colinho, enquanto você passa aquele creme no corpo e pensa no marido.
Resumo da ópera?
A atenção é exclusiva para a criança até fazê-la dormir.
O que sobrou?
A madrugada, para cumprir as funções marido e mulher, sem saco e forças para uns bis, tendo o perigo de o filho acordar, começar a chorar e querer dormir no meio de vocês dois.
Sim, em algum momento, viramos esposa, dona de casa, profissional, cozinheira, faxineira, mãe, amiga e administradora do lar.
Não é fácil!
Mas espera ai, antes de tudo somos mulheres!
Poderosas por sinal!
Então nada de esquecer o seu espartilho naquele saco de lixo de roupas que não é para doar e se arrume para uma noite especial naquele restaurante chique que o seu homem te levava antes de subir ao altar e seja feliz.

Hum… agora vejo um olhar desesperador a me perguntar “como eu faço isso?!”.

Fácil!

Faça uma logística de guerra:

19h – Criança na mamãe ou na cobra… ops… sogra;

20h – Banho, produção, perfume, maquiagem e roupas de baixo confortável. Por que mata qualquer mulher aquela roupa linda apertando as gordurinhas ou aquele barulho de chiclete bem no meio do restaurante, quando discretamente, tentamos tirar vocês sabem o que e aonde nos incomoda;

21h – Restaurante super sexy e coma comida leve. Por que nada vale comer uma feijoada e passar o resto da sua noite especial com o seu marido dormindo no sofá e você assistindo o Corujão;

22h – Reserve um quarto de hotel, já que mudar de cama de vez em quando faz um bem danado;

06h – Buscar o filho na sogra com o rosto “sou feliz, bem resolvida e amada pelo seu querido filho” e matá-la de inveja com a atenção que foi dada especialmente para você na noite passada. Por que amor de mãe é amor de mãe, lembre-se.

E agora?

Está esperando o que para agarrar o seu marido, minha senhora?!