Papo de Menina

Brincadeira de Criança…

Mulheres de 30 (de 20 ou 40, quem sabe 50… homens também!! Por que não?), atenção a sessão nostalgia geral!

Na nossa época, um brinquedo moderno era aquele que fazia xixi quando davamos  uma mamadeira de água e os meninos quando tinham o famoso ferrorama!!!

Claro, com o tempo muitos brinquedos mudaram e eu lembro do meu primeiro liquidificador de brinquedo! Oh, ele ainda fazia vitaminas de verdade, era a minha paixão gastronômica infantil!

Porém as brincadeiras que eu mais gostava era quando juntava um grupinho de crianças e soltávamos a imaginação: como andar no bosque da escola (é a minha escola tinha muito verde!) e procurávamos a bruxa! Claro que não achávamos a bruxa, mas eu sempre via a cara do tio da perua olhando feio para mim por chegar atrasada para ir embora… cof cof…

E os desenhos animados, adoraaaaaaaa ursinhos carinhosos, smurfs, pica pau e corria para pegar uma cenoura quando começava pernalonga… quem falou que desenhos animados nunca me ajudaram na alimentação?

Outro fator gastronômico da minha infância era caçar minhocas no jardim da minha mãe para fazer macarrão, claro que eu não comida. Todo dia eu ia lá, caçava as minhocas na mão e colocava em panelinhas de ferro… deixava cozinhando até as bichinhas morrerem e voltava para o local que eu retirei… #meninamá?

Na casa da minha avó as coisas eram diferentes, as minhas panelinhas eram recheadas de grãos de arroz e feijões crus. Lembro também de pegar a fruta do café e usar nas minhas sessões gastronômicas infantis.

Ah, outra sessão “lembranças de uma criança”, lembro que no interior (na casa da minha avó) a prefeitura dava brinquedos para todas as criançadas, eu puxava a minha mãe para ir até a praça e ganhar uma boneca de plástico dura e pelada. Claro que eu não precisava, meus pais sempre compraram brinquedos para mim e o meu irmão, mas era legal escutar as histórias da minha mãe falando que recebia aquelas bonecas e fazia arte com elas, como costurar as suas roupinhas e colocar grão de milho para fingir que era cabelos.

Não posso esquecer das aulas de tricô que eu tive com a vovó para criar as roupas da Barbie!

Nunca tive problemas em lavar as roupas e dar banhos nas minhas bonecas… adorava quando não precisava fingir “algo” e realizar a limpeza delas.

Apesar de ter vários brinquedos e de qualidade, eu adorava soltar a imaginação ou ter criatividade! Tudo para mim fazia parte de uma história. Eu me sentia realizada com as revistas que tinha aquelas bonequinhas de papel, aonde você recortava as roupas e vestia elas…

O meu cachorro vira lata era o meu companheiro de brincadeira, era o meu cavalo, o monstro que guardava a princesa da torre da bruxa e a minha almofada quando ele cansava e ia tomar sol, logo eu deitava na sua barriga e ficávamos os dois sem fazer nada.  Lembro da sua ida… como foi triste para mim e ele foi até nós para se despedir, olhou, deu um gemido e caiu.

Deus, obrigada por ter feito a minha infância feliz, por ter me dado amigos e por ter escolhido uma família tãooo fofa que eu amo tanto!

Como hoje é dia das crianças e também da Nossa Senhora, quero deixar um pequeno trecho de uma oração que ensinarei o meu filho ou filha orar quando for pequenino que nem eu (oi?!) fui:

“Mãezinha do céu, eu não sei rezar
Eu só sei dizer quero te amar
Azul é seu manto, branco é seu véu
Mãezinha eu quero te ver lá no céu
Mãezinha do céu, mãe do puro amor
Jesus é seu filho
Eu também sou
Mãezinha do céu, vou te consagrar
A minha inocência, guarda-a sem cessar
Azul é teu manto, branco é seu véu
Mãezinha eu quero te ver lá no céu”

Feliz dia das crianças e da Nossa Senhora também!

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.