Então, esse foi o menu de Páscoa…

- Categoria: Receitas

A minha família é católica, ou um dia foi… ou nunca foi, bem não vamos entrar em grandes detalhes, mas a unica que eu tenho certeza quem já foi católica na minha família foi a minha avó (ela tinha até foto do Papa na sala de Jantar) que vivia contando que antigamente as missas eram em latim (ela até me ensinava, já que na época dela, tinha como matéria de escola). O meu avô (que já se foi também) não era um ser desse planeta (que a verdade seja dita uai), já que ele amava dizer que era feiticeiro quando alguém batia na porta com uma bíblia na mão… na verdade, se alguém aparecia na porta ele já falava que estava em plena sessão de magia para o povo sair correndo. Não, ele não era nem um pouco social e nem normal, era um italiano mal humorado mesmo. Mas eu amava ele, tenho os seus genes e não duvidem que eu seja mal humorada também.

Enfim, além da história religiosa entre família, de ir na igreja assistir a missa (eu mais levava chamada, melhor, gritos  da minha mãe para ficar quieta quando o padre falava), a Páscoa era o dia que era obrigatório ter peixe em qualquer refeição principal do dia!!

Mesmo depois de anos e anos de vida, formando a minha nova família, o menu foi peixe aqui no micropequenominiapertamento:

Ceviche

{Foto enamorando o prato e pensando

que eu sou demais na cozinha}

 

Receita daqui

500 gr de pescada branca
40 ml de suco de limão
1/2 unidade(s) de abacate
20 gr de pimentão amarelo em cubos pequenos
20 gr de pimentão vermelho em cubos pequenos
20 gr de ciboullete picada(s)
3 gr de gengibre ralado(s)
1/2 unidade(s) de cebola roxa picada(s)
2 colher(es) (sopa) de shoyu
quanto baste de óleo de gergelim torrado

Corte o peixe em pequenos cubos,tempere com limão e sal e adicione os outros ingredientes. Deixe descansar na geladeira por duas horas e sirva.

Mas no final comemos esse daqui:

Ensopado de Ceviche

{Foto depois de uma decepção com o Peixe do Ceviche}

O modo de fazer é: jogar tudo que você fez numa frigideira e cozinhar o peixe…

Sei lá qual a carga d’água, o peixe ficou um gosto estranho para mim (o cliente vip falou que estava normal), acredito que foi o peixe congelado. Então, olhei com amor para o meu amor e falei “posso?” e ele autorizou. Cinco minutos o peixe estava “engolível” e eu vivi feliz para sempre.

Ah, o cliente vip continuou falando que estava bom… bem, eu quando estou com mau humor e nada dá certo… sai de baixo.

Na próxima, quando eu tiver peixe fresco (congelado jamais!!) em casa, refaço essa receita.