Programa de Mulherzinha: Chegadas e Partidas

É um programa bem de mulherzinha, que homens podem assistir. Eu não vivi a minha vida em um aeroporto, mas andei muito por ele (para viajar ou entregar algum documento… oi?!) e acreditem, lá a vida é tão intensa. As emoções são algo que não tem palavras e toda vez que assisto esse programa, dou risada das mais gostosas, choro de verdade e no final de tudo, sinto que vivi as emoções de todos os passageiros que passaram pelo programa. Boa sorte para todos e vamos viver cada emoção da nossa vida.

Vou contar a minha história de partida e chegada (sim, ao contrário assim): Lembro quando comecei a namorar o cliente vip, fui para Salvador curtir as minhas férias e ele ficou por aqui. A despedida foi algo triste, mas eu estava feliz. Embarquei em Congonhas e logo, meu avião apresentou problemas (motor estourou, pegou fogo e bla bla bla), o cliente vip vendo tudo pela janela do aeroporto e xingando. O avião voltou, fizeram a manutenção e eu no celular com o meu namorado, abraçada com um cachorro de pelúcia que ele me deu.

Não curti muita a viagem, logo queria voltar para São Paulo e ficar com a minha paixão (eu fiz, quando minha mãe pensava que eu estava na Bahia, fiquei na casa do cliente vip, sorry mamy). Quando cheguei em São Paulo, ele estava me esperando, falando que precisava falar seriamente comigo, logo tirou uma aliança de compromisso do bolso e colocou na minha mão. Ohhhh, que lindo, amei demais, chorei, abracei e namorei o anel durante bom tempo (claro, ainda namoro o cliente vip até hoje hohoho, #casalfeliz).

Depois disso rolou uma dívida também… quando chegou a conta do meu celular, quase cai para trás, deu 200,00 reais (eram ligações diárias de uma hora). Viajar sem namorado custa caro viu, só o amor que é lindo. Mas conta se paga e a empresa fica feliz :)

Você quer assistir? Passa no GNT (Canal Pago) e eu tenho costume de assistir no sábado as 19h.

7 comentários para “Programa de Mulherzinha: Chegadas e Partidas”

  1. Adorei a entrevista. Em Julho a sobrinha mais nova foi morar em Berlin. Experiencia nova. Ia voltar em Janeiro, já mudou… voltará antes no Natal. E está com avó por perto, tio-avô, tios, morando num castelo… mas a saudade grita rapidinho.

    Aeroportos sao como pontes que unem. Algumas vezes separa, mas normalmente é um passo a frente.

    Beijos

  2. Adoro esse programa, assisto sempre que lembro…
    Já vivi em aeroportos, mas a história de partidas mais diferente foi logo no início do meu namoro com meu (atual) marido, começamos a namorar em novembro e ele já tinha deixado pago uma viagem no ano novo com os primos para camboriu (4 dias), e eu não podia ir por conta do serviço, no dia de embracar, do nada senti um aperto, no peito e desandei a chorar, acho que mesmo no começo o que sentia era muito intenso. Ele foi viajar e nos falamos todos os dis pelo celular, por sorte eu trabalhava em um a empresa que ligava para o Brasil inteiro e falava com ele sem gastar muito. Engraçado que havia me esquecido disso, e a sua historia me trouxe essas lembranças, pois logo depois que ele voltou, decidmos morar juntos…

    Bjão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *