Diário de Viagem: Passeio no Trem do Fim do Mundo

Thursday, 30 de August de 2012

Antes de embarcar para a minha primeira viagem internacional, fizemos uma pesquisa enorme sobre Ushuaia, o que poderíamos fazer e o que estava fora da nossa planilha, e algumas pessoas falaram bem do passeio de trem e outras apenas citaram “dormi o passeio inteiro”. Não dormi, mas realmente é um passeio calmo (até demais), para você admirar a paisagem do local e conhecer um pouco da história de Ushuaia.

Fiquei apaixonada pela estação, é linda! Tomamos um café com Baileys com uma montanha gigante fazendo o cenário perfeito, mas a bebida não foi grande coisas para mim, já que o gosto do café estava super forte e não deu para sentir o gostinho do Baileys, porém, a bebida esquenta até a ponta do dedão do pé. Depois compramos os bilhetes para a classe turista sem direito a um lanchinho, mas quem se importa? Logo logo andaríamos no trem mais austral do mundo.

O bom que a maioria dos passeios em Ushuaia, tem uma parte que é em português: um cartão falando sobre o que você está visitando, guias e até gravação contando a história. Não pense que você ficará perdido no castelhano, mesmo na rua, dá para se virar. As pessoas da estação, super simpáticas, perguntam de onde você é e te tratam com bastante carinho. Dentro do vagão, tem um guia que fala o que pode e o que não pode fazer, depois entra uma gravação contando a história do lugar. Aqui é aonde os presos saiam para tirar as toras de madeira e construir os presídios (teve vários) e quem tentava fugir, morria com o frio. A única reclamação que eu tenho, que o som da gravação era baixo, escutávamos mais o barulho do trem, depois das pessoas e finalmente, conseguíamos acompanhar a história do lugar.

A viagem é exatamente assim, com lindas paisagens, montanhas maravilhosas e um rio brigando para não ser congelado. A falta de árvores é por causa da sua história que citei a cima, eles chamam esses campos de cemitérios da árvores… onde você só vê tocos e árvores secas, cavalos pastando como o mundo fosse bom Sebastião.

Sinceramente,  o mundo é bom sim, agora as pessoas… aqui começa a minha primeira reclamação!

Eu e o Cliente Vip respeitamos as regras sempre, porém, algumas pessoas não. Pediram para não pisar na linha do trem e adivinha?
Algumas pessoas pisando na linha do trem para tirar foto com a locomotiva e a guia louca pedindo para sair.
Pediram para não jogar lixo pela janela (até porque não tem necessidade, depois o trem é limpo) e vimos garrafas de plástico jogadas pela paisagem e o maquinista retirando elas na volta.
Existem placas enormes e em diversas linguas falando, não ultrapasse ou não sentar em alguns lugares. Nas paradas o que vimos? Gente sentando ou ultrapassando a barreira para tirar fotos.
Sabe que nos deixou mais triste?
Eram brasileiros, quando abriam a boca, você reconhecia de onde eram.

Enfim, a viagem de trem termina no Parque Nacional da Terra do Fogo, onde você pode percorrer e conhecer o local ou voltar com o trem. Como fomos no trem da tarde e o parque estava puro gelo (neve derretendo, muito gelo no caminho e frio demais) decidimos voltar com o trem e passar o final da tarde e noite no centro da cidade.
Quem gosta de caminhadas, vale a pena ir no verão e conhecer a beleza que o Parque Nacional reserva para vocês, só que no verão a entrada é paga. Quem quiser arriscar no inverno e conhecer o parque, indicamos o passeio 4×4. Não, não fizemos esse passeio, era muito caro e mesmo assim, aproveitamos a cidade ao máximo durante esse 7 dias de viagem.

3 Comentários para “Diário de Viagem: Passeio no Trem do Fim do Mundo

  1. Oi!
    Estou curtindo os seus relatos da viagem, vou colocar na lista dos lugares pra conhecer :)
    Quanto a falta de educação dos turistas, também fico indignada com isso, em dezembro estivemos em Bonito-MS e ficava pra morrer quando via as pessoas não respeitando a natureza tão linda.
    Bjs

    • Marluce, fiquei super triste, querendo ou não, mancha também o nosso país. Ontem assisti um documentário de um mochileiro, falando super mal daqui. É triste :(

  2. Eu diria: ” o fim do mundo é bão dimais!” – como boa mineirnha que sou…
    Agora esta questão que vc falou de algumas pessoas que não respeitam o que o guia fala, também fico indignada.
    Gosto de fazer tudo bonitinho pra preservar o lugar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>