Papo de Menina

Outlander – A Viajante do Tempo… a minha curiosidade e revolta!!

Essa série não esta passando no Brasil e nem sei quando começará a passar (espero que logo), mas é baseada no livro A Viajante do Tempo – Série Outlander.

A curiosidade matou o gato a gata e lá fui eu ler o livro. Bem se você é um gato ou gata, convido a continuar a ler essa postagem.

Se você é contra spoiler, mude para outra postagem ou saia do blog e volte amanhã, quem avisa amigo é ;)

Resumindo: o livro conta a história de Claire Randall, depois do final da segunda Guerra Mundial, ela se encontra com seu marido e vão passar uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de Pedras e viaja para o ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.

Ela conhece Jamie e mesmo querendo voltar ao braços do seu marido, os dois acabam se casando para ela não ser presa pelos ingleses, que desconfiavam dela (ah, os Escoceses também). Ah, claro, depois do casamento o amor/desejo/paixão surge e tudo fica muito, mas muito quente.

Para quem estava toda animada com Cinqüenta Tons de Cinza, não vai estranhar em ler esse livro, já que tem muito relato de sexo com clima romance total (não é nada parecido para ser sincera, mas não li Cinqüenta Tons de Cinza, só vi que os outros escreveram por aí e por isso a comparação).

Certo, até aí normal, o cara tenta ser o herói e quem acaba salvando ele é a protagonista. Quem leu até aqui vai achar que é uma novela pastelão ou uma história escrito para as coleções Sabrina, Bianca e afins.

Até que cheguei perto do final do livro, aonde fico revoltada… melhor, chocada das unhas do pé até as pontas dos fios do meu cabelo.

Acho que a escritora não gosta de homem e essa foi a conclusão, se outros chegaram a uma conclusão diferente da minha, respeito, mas respeitem a minha :)

Relatar abusos é algo que choca e muito, normalmente as informações sobre algo dessa natureza é muito bem escrita para sabermos que isso é errado e não causar tanto impacto nas nossas vidas que acompanha os acontecimentos de certos casos. Outra coisa, temos em mente por documentários e histórias que estudamos que isso era algo normal antigamente (que na verdade não é normal). Mas quando eu li o abuso do Jaime, com todos os detalhes, foi algo que eu não esperava “como assim?!”.

Não basta o cara tentar salvar a Clarie do perigo e meio que não dar certo, levar tiros, levar socos, fugir da morte, de ser preso, etc… ainda isso?

Tudo isso aconteceu porque ele permitiu ser abusado para salvar a vida da Clarie, mas tu ler detalhes, de como foi, o que o cara fez com ele… novamente, é revoltante… estou até agora chocada, mesmo lendo o outro livro que tem mais de mil páginas, já que a curiosidade é maior e quero saber quem fim deu toda a história (parece que são 8 livros, santa paciência!).

Por que você cria um carisma pelo cara, mesmo sendo um ogro com um coração bom.

Assim, a história tem partes que relata as tentativas, nenhum realizados contra a mocinha, que sempre é salva por ela ou por outro alguém ou até ele, que já tinha passado por isso também. Não pensei que chegaria a esse ponto. O final do livro fala sobre ela ter resgatado ele da mão da morte e os cuidados do seu ferimentos (corporais e emocionais), já que o amor supera tudo (essa seria a mensagem, acredito eu!)…

Eu fico pensando, será que o seriado terá essa cena ou eles vão mudar o tipo de abuso?

Tentei ler algo para saber sobre isso, mas não achei nada e acredito que nenhum jornalista deva ter perguntado.

Outra coisa que me preocupa e bastante, que essa saga é procurada pelas leitoras que ficaram órfãs do Crepúsculo. Posso estar sendo ingênua (com certeza, eu estou), mas achei que o conteúdo não é indicado pelas gurias apaixonadas pelo o vampirinho e sim para os leitores do Cinqüenta Tons de Cinza. Acho que estou ficando velha, acredito que sim.

Ps.: Li em algum blog, falando sobre o mocinho ser tão desvalorizado na história do livro. A autora queria mostrar que a protagonista é uma pessoa independente e guerreira, que conseguiria passar por tudo de ruim de cabeça erguida e com muito amor no coração. Então está bom… né?

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.