Um mês e um brinde com suco de melancia…

Postado em Receitas / Monday, 17 de February de 2014

Nem parece, mas o tempo voou e essa semana fará um mês que o meu coração é gaúcho. As vezes, eu lembro de “um não sei o quê” de São Paulo, mas é bem isso: é “um não sei o quê”, algo que parece um cheiro ou um som, mas que não faz falta, não faz diferença e não dá saudades.

Na verdade, a única saudades que eu sinto é dos meus pais e dos meus amigos.

Só que aqui está tão bom, tão querido e tão amado… que eu só lembro de “um não sei o quê”, que não tem peso, algo que está sendo guardado em um baú lá no fundo do coração.

Já temos novos e velhos amigos, novos vizinhos… ah, temos uma vizinha muito querida, uma senhorinha que é uruguaia, uma alegria em pessoa. A Aimê sempre dá uma cheiradinha na porta com esperança da vizinha estar por lá e poder entrar, rondar e comer a comida do seu gatinho (oi?!).

Não tem preço você ver as crianças brincando na praça, os vizinhos sentados nas suas cadeiras de praia e tomando um chimarrão. O melhor de tudo é sentar embaixo de uma árvore, relaxar sentindo um vento fresco batendo nos cabelos.

Sim, aqui é bem mais calmo que São Paulo, parece que estou de férias em alguma cidade praiana por causa do calor. Que esses dias, não está tão calor, está um clima bacana e um vento bem gostoso.

Suco de Melancia

sucomelancia

Aqui existe uma feira bem pequena na rua de cima, nada que lembra as feiras enormes de São Paulo, mas bem farta de frutas e legumes. Acho que em dez anos de casada, nunca fiz uma feira, tudo era comprado no supermercado (mas eu conheço feira, já fui antes de casar e sempre era para comer pastel) e essa foi nossa primeira vez juntos, um passeio curto mas que não posso deixar de fora aqui nesse “diário virtual”, tornou-se um momento especial.

Compramos uma melancia doce, tão doce que não precisou de açúcar para fazer esse suco e o valor é 12 reais uma inteira (não sei se está caro ou barato, para frutas, perdi a noção do preço…).

O cliente vip já deu a idéia de fazer um suco para o almoço e foi algo bem simples. Bater um punhado de melancia com um pouco de água gelada e pronto, agora era só tomar e refrescar. É, eu já queria estar com a minha hortinha (aqui tem como colocar algumas plantas na janela), já que adoro suco de melancia com um pouco de folha de hortelã, mas fica para próxima.

Nesse momento, lembrei quando citei que a melancia estava em alta nos EUA quando lá era verão, porque ela é a cara do verão! Nesse momento, eu sabia que estava curtindo o verão, algo que sempre odiei em São Paulo, passar calor junto com várias pessoas que tinham que suportar um ônibus cheio e loucos para chegar em casa, tomar um banho, tomar algo gelado (sem pensar no sabor) e acordar no dia seguinte para voltar a trabalhar.

Ah, até a Aimê, que não é boba nem nada, aproveitou para comer alguns pedacinhos de melancia (sem semente) e bem gelada… olha, a bichinha gosta dessa fruta, viu?!

Ps.: já estou fazendo algumas receitas para publicar aqui no blog, logo logo, voltaremos ao normal.

A primeira viagem da Aimê {Levando o seu cão no avião}

Postado em Pets Love! / Friday, 31 de January de 2014

Eu tinha em mente que o gasto maior dessa mudança seria com a Aimê e por esses motivos, pesquisamos muito para decidir qual seria a melhor forma de levarmos nossa cachorra conosco. Nossas principais perguntas: “Qual seria a forma mais rápida e menos cansativo para a nossa pequena?”, “Vale a pena alugar um carro?” ou “Avião ou Ônibus?”.

Vou contar como foi essa saga “minha filha vai comigo, nem que seja a pé!”:

- Colocamos no papel os custos e benefícios de irmos embora de carro… apesar de ficarmos mais “livre” por poder parar em algum posto na estrada, precisaríamos achar um carro grande para trazer a mudança conosco.

Deixamos muitas coisas para trás, mas ao mesmo tempo, precisávamos trazer as roupas, a máquina de lavar roupas, geladeira, fogão, mesas, computadores e etc. Não ia valer a pena pelo risco (já que não teríamos seguro da mudança) e  possibilidade de achar um carro de grande porte que leve tudo era mínima. Sem contar, que seria complicado achar um lugar para dormir e que aceite cachorro.

Logo, descartamos a viagem de carro.

- A viagem de ônibus também era uma das alternativas! O pouco que eu li, você compra uma poltrona para o cachorro que precisa ir dentro do kennel no seu lado. Mas paramos e pensamos, é muito tempo de estrada e a Aimê não estava acostumada com viagens longas.

Outro detalhe, que toda vez que íamos ver uma caixa/mala de transporte, ela se estressava e queria fugir para o mais longe possível. Agora imagina um dia inteiro, ela presa dentro de uma caixa, estressada e não entendendo nada do que está acontecendo. Também foi descartado essa possibilidade de viagem.

- Sobrou a viagem de avião, que dura uma hora e vinte minutos!! Que também não seria nada barato, pela pequena pesquisa realizada… mas era o ideal.

Primeira providência foi pesquisar sobre transporte de animais em todas as companhias aéreas!

A Aimê não é uma yorkshire terrier pequena, ela é bem grandona (tamanho de um Maltês? Acho que sim!) e pesa cinco quilos e meio. A única companhia certa para levar a Aimê, seria a TAM que aceita cachorros até 10 quilos na cabine.

Porém, o kennel permitido é minúsculo e li na internet algumas pessoas reclamando, que até um cão de dois quilos não ficava confortável naquelas medidas. A única coisa que me motivou foi relatos de blogueiras que viajaram com a TAM, falando que a companhia apenas pesa o animal e não faz a medida do kennel.  Assim, comecei a rezar para ter a mesma sorte que essas blogueiras…

Segundo passo, foi os preços:

Taxa de R$ 90,00 (noventa reais) + (Total do peso da caixa de transporte e do animal multiplicado pelo correspondente a 0,5% da tarifa cheia, do trecho a ser voado).” – Texto tirado da página da TAM.

Primeiro, o atendimento da TAM por telefone é horrível!

Na verdade, eu não tive atendimento, porque fiquei uns 20 minutos falando com uma voz eletrônica, que não entendia nada que eu falava. Quando consegui ser transferida para um atendente, fui informada que era uma espera de 1h30 minutos…

Desliguei o telefone!

Pedi para uma amiga ver com o seu marido, que é agente de viagem, o valor da tarifa cheia (mesmo não sendo a tarifa do dia da viagem, só para ter noção do $$$ que teríamos que pagar), além dos 90 reais, pagaríamos mais cento e pouco da passagem da Aimê.

Logo, percebi que a viagem da Aimê ia ser mais cara do que as nossas passagens!! Contando com o valor de transporte, veterinário e o Kennel.

Certo, foi o momento de pesquisar em as outras companhias para transporte no porão!

A primeira que liguei foi para Avianca (eu tinha vindo com eles para Porto Alegre e amei). No site ainda estava transporte de animal com o kennel até cinco quilos. Eu já sabia que ela não poderia ir conosco na cabine, mas queria ver se eles transportavam no porão.

Tive uma grande surpresa, a atendente informou que poderíamos leva-la conosco na cabine, já que Avianca aumentou o peso do animal com o kennel para 8 kilos. Imagina minha felicidade, só não lembro se dei pulinhos de felicidades na sala naquela hora.

Outra coisa que me agradou muito, foi as medidas do kennel  da Avianca, que é  maior das medidas informada pela TAM. Isso me deixou muito feliz, já que a Aimê não ia viajar estilo “sardinha”.

Não reservei a passagem e fomos correndo no Pet Center comprar a sua malinha… eu não sei aonde as companhias tiram as medidas, porque é impossível achar algo do tamanho que eles pedem. A maioria dos kennel custam 250 reais, uma fortuna, mas conseguimos achar um kennel com as medidas próximas da Avianca e custando 70 reais, uma bela economia!

Pronto, compramos a malinha e fizemos o adestramento para a Aimê entrar e ficar quietinha (vou fazer um post com fotos ou quem sabe um vídeo, de como foi esse adestramento). Depois de três dias e muitos petiscos, ela acostumou com a malinha e começou a ficar quietinha dentro dela.

O último passo, foi  o veterinário!!

Foi uma facada para tirar um simples atestado de saúde, foi cobrado 100 reais…

Acredito que esse valor é por causa do bairro que morávamos, clinica de bairros mais afastado do centro, devem cobrar bem menos.

Reservamos nossas passagens pelo site (que sai mais barato do que comprar pelo telefone) e liguei para Avianca pedindo o transporte da pequena, no mesmo dia tive a confirmação do seu embarque conosco.

Chegou o grande dia, passamos pelo check-in tranqüilamente, a Aimê tinha engordado 400 gramas, mas nada que atrapalhava a sua viagem. A guria também não mediu o kennel, mandou preencher uns papeis e ir na loja pagar a “passagem” da minha pequena.

Fiquei rezando no lado de fora da loja para não ser uma facada e quando o cliente vip chegou, falou “sabe quanto foi?” e eu “não, me fale”…suspense!! E vocês, sabem quanto foi????

Acreditem, foi 36 reais!!! A passagem da Aimê foi 36 reais!!!!

Depois de pegar os documentos da Aimê, as fichas preenchidas e a autorização, partimos para o Embarque. Para quem nunca viajou de avião com o seu Pet, você tira o cachorro do kennel para passar no raio-x, pode ser uma informação besta, mas achei que ela ia passar naquela caixinha preta dentro do kennel hehe

Ela foi bem tratada por todos, a agente do raio-x da Infraero ficou apaixonada pela pequena!

Engraçado é ver a cara de todos do aeroporto na sala de embarque, não acreditando que um cachorro estaria embarcando conosco na cabine. Algumas pessoas chegaram a questionar se o kennel (e ela) não eram muito grandes para ir na cabine… “oláááá, se ela passou pelo check-in, está tudo dentro das regras de transporte de animal da Avianca e ninguém falou nada, porque você tem que falar?!”

Outras pessoas ficaram surpresas de poder levar o animal conosco na cabine, pediram informação e perguntaram do valor.

O embarque e a viagem foi super tranqüilo, o chefe de cabine (ou comissário chefe, antigamente) foi todo atencioso e preocupado com a sua passageira canina. Ele até falou que tem uma cachorra e que ama de paixão, por isso trata seus passageiros caninos com atenção. Perguntei se poderia levantar o kennel para dar uma olhada nela (já que ela viajou nos nossos pés, isso é regra para todas companhias!) e ele falou para não tirar ela da malinha, mas que poderíamos sim levantar por pouco tempo e ver se estava tudo ok.

A viagem durou uma hora e trinta minutos, a Aimê chegou bem, saiu da malinha ansiosa e estranhou muito no começo. Mas quando chegou em casa e reconheceu suas coisas, o cheiro e os móveis, ficou mais relaxada. A única coisa que ela anda sofrendo (e nós também), é com a onda de calor que está aqui no Sul. Mas isso não tem o que fazer, apenas rezar para o tempo virar e esse calor ir embora.

Mais informação, sobre o transporte de animal pela Avianca, clique aqui.

Carne com pimentão e tomate… comidinha bem caseira e gostosa!

Postado em Receitas / Thursday, 30 de January de 2014

Eu não sei quando poderei postar receitas por aqui… primeiro que a nossa cozinha ainda falta alguns reparos, exemplo, colocar a pia e preciso também comprar o botijão de gás (eu gostava do gás de rua, pela comodidade). Claro, depois colocar todas as coisas nos seus devidos lugares. Ufa, mudar cansa viu.

Mas estamos quase lá, estamos sim!!

Tenho três receitas prontas e que posso publicar aqui no blog, enquanto isso, vou pesquisar algumas receitas que possa fazer no micro-ondas, quem sabe, alguém com problemas técnicos (tipo, eu?!) possa se beneficiar com esse método de cozinhar ;)

Carne com Pimentão e Tomate

carnecompimentaotomate

Vocês sabem que eu amo comidinha caseira e essa receita é perfeita.

É bem simples, vocês precisam de um pimentão vermelho picado e sem semente, tomates pelati, cebola picada e um bom bife cortado em tiras.

Quem quiser usar lata de tomates pelati, fiquem a vontade!!

Para quem quiser fazer os seus próprios tomates pelatis na hora, segue o modo de preparo: em uma panela de água quente/fervendo, coloque os tomates durante três minutos. Depois é só tirar os tomates da água quente e joga-los em uma bacia com água gelada e alguns cubos de gelo. Assim, vocês conseguem tirar a pele do tomate sem ter problemas nenhum.

Para essa receita, é ideal tirar as sementes e picar o tomate.

Em uma frigideira, coloque óleo e as cebolas picadas para fritar, depois adicione a carne temperada com sal e pimenta do reino e deixe cozinhando por alguns minutos.

Coloque o pimentão e o tomate picado, deixe cozinhando até o tomate fazer um molhinho e o pimentão ficar ao dente (firme, porém, macio).

Pronto, agora é só servir com um arroz soltinho e uma salada verde bem gostosinha!!

Ps.: quem quiser colocar extrato de tomate, para deixar o molho mais encorporado, pode viu?!

Mudei para Porto Alegre e… tchau?!

Postado em Papo de Menina / Saturday, 25 de January de 2014

onibuspoa2

Algumas pessoas (ou várias) vão ficar chateadas por eu não ter avisado da minha mudança de Estado. Mas deixa eu explicar, mudar para outro Estado não é tão fácil como parece. Corre atrás de imobiliária, vai ver apartamento (a primeira vez que eu apareci por aqui, foi para ver o apartamento, por isso que não avisei ninguém, foi jogo rápido), negocia com mudança, vê internet, compra passagem, corre atrás de veterinário, doa metade das suas coisas, joga fora várias coisas, guarda o que será transportado e pensa no melhor, sempre no melhor, para que tudo aconteça normalmente.

Temos vários motivos para decidir essa mudança de vida: primeiro que São Paulo está insuportável para se viver. Se você gosta de viver no transito, morar longe do seu serviço e pagar fortuna, quem sou eu para falar algo.

Mas quando você coloca no papel que gastaria metade em quase tudo morando fora da cidade de São Paulo, melhor, tendo qualidade de vida… a vontade de fazer as malas é automática!!

Porque não escolhi uma cidade no interior do Estado de São Paulo?

Pelo simples fato de eu e o cliente vip sermos apaixonados por Porto Alegre, aquele amor platônico louco e que temos certeza que seremos muitos felizes por aqui. Também queria estar dentro de uma Capital pelo fato de ter tudo por perto ou precisar de algo que sabemos que são precários nas cidades do interior.

Já posso falar que qualidade de vida, bah… nem se comenta perto do stress que vivíamos na cidade de São Paulo. Apesar do calor de 40 graus (ou mais), estamos felizes. Já conhecemos os nossos vizinhos (coisa que não acontece em São Paulo) e todos foram super prestativos. Além dos amigos que formamos durante anos por causa da internet, que estão nos ajudando muitooooooooooo (obrigada, de coração).

Só uma explicação, ainda não estamos completamente 100% curtindo nossa casa, já que estamos recebendo os móveis novos, a mudança, os serviços contratados e etc. Mas se Deus quiser, logo logo, estaremos na paz do nosso novo lar.

Ps.: Leitores de Porto Alegre, vamos marcar algo para nos encontrarmos, quem quiser, é claro :)

Laura Weatherbee: outro vídeo mostrando como decorar seu pequeno apartamento, loft ou Kitnet

Postado em Brincando de Casinha / Tuesday, 14 de January de 2014

Há muito tempo atrás, publiquei esse post sobre decoração de pequeno espaços, que é um dos posts queridinhos do blog e hoje, vejo um email da própria Laura avisando que tem um novo vídeo com a mesma temática do vídeo interior.

Dessa vez, ela fez milagre com um micro pequeno mini apartamento que tem uma planta para lá de estranha, mas tudo ficou tão fofo e bonito, que o apartamento em si se transformou por completo.

O melhor de tudo, que não precisou de muito para deixa-lo bonito. São idéias que você pode pegar e incluir na decoração do seu mini pequeno micro apartamento. Só não esqueçam de serem criativos e combinarem bem os tons de cores com a parede e os móveis que farão parte do seu lar.

Obrigada Laura, por mais um vídeo bacana ;)

Ps.: Eu sei que estou sumida, muito sumida… mas é por uma boa causa que logo logo contarei aqui no blog para vocês. Enquanto isso, eu postarei essa novidade no meu instragram e na fan page.

Oi?! Você não me segue? Que tal começar a seguir agora, hein?!

Tabule

Postado em Receitas / Monday, 16 de December de 2013

Na minha opinião, tabule é uma salada completa e refrescante nos dias de verão.

Eu adoro fazer em dias quentes acompanhado com qualquer carne branca grelhada, para mim o prato está completo.

Tabule

tabule

Ingredientes

4 unidades de tomate picados
2 unidades de pepino (a salada original não tem pepino, mas aqui colocamos, eu adoro)
1 xícaras de chá de trigo para kibe
quanto baste de água
1 unidades de cebola picada
1/2 xícara de chá de salsinha picada (não usei)
1/4 xícaras de chá de cebolinha verde picada (não usei)
1/4 xícaras de chá de hortelã picada
quanto baste de suco de limão
quanto baste de sal
quanto baste de azeite
quanto baste de pimenta-do-reino branca ou pimenta síria

Modo de preparo

Deixe o trigo de molho por 2 horas (quem quiser ou está com pouco tempo, pode deixar por 20 minutos). Retire da água e esprema bem.

Misture a cebola, a cebolinha, a salsinha,a hortelã, o pepino e o tomate.

Prepare à parte o tempero com limão, pimenta, sal e azeite.

Acrescente o tempero à salada e sirva.

Peach Cobbler – Torta de Pêssegos {Sobremesa para o Natal}

Postado em Receitas / Friday, 13 de December de 2013

Eu tinha comentado que estava sem idéias do que fazer de comida para o blog (não é mais para família e sim para o blog… isso mesmo que você leu, aonde eu cheguei hehe) e fui visitar outros blogs para ver se existia alguma luz no fim do túnel. Foi quando eu vi essa receita da Cris do blog From our Home to Yours.

Logo pensei: muitas pessoas recebem cestas de Natal agora no final do ano e sempre vem uma latinha de pêssego em calda no meio de tantos os produtos. Muitas vezes, as pessoas abrem, comem os pêssegos e bebem a calda, achando que não existe uma utilidade publica na cozinha.

O que fazer com a lata de pêssegos em calda hein?

Que tal essa torta?

Peach Cobbler – Torta de Pêssegos

tortadepessego1

Ingredientes

100 gramas de manteiga
3/4 xícara de leite
1 xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa fermento em pó
3/4 xícara de açúcar
1 lata de pêssegos sem a calda (ou se preferir 4 xícaras de pêssegos frescos)

tortadepessego2

Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno a 200C.

Coloque a manteiga numa assadeira ou pirex redondo de 30 cm e leve ao forno ou microondas para derreter. Em um tigela, misture o leite, a farinha, o fermento e o açúcar. Adicione ao pirex.

Distribua os pêssegos e leve para assar por cerca de 45 minutos. Sirva puro ou com sorvete.

tortadepessego3

Eu misturei a manteiga na massa, mas pela receita fornecida pela Cris, não é necessário, apenas coloque a massa em cima da manteiga. Quem quiser untar a forma, fique a vontade.

Opinião do Cliente Vip: “O único problema dessa torta é parar de come-la… logo que termina um pedaço, você já fica louco para comer outro”.

Será que fez sucesso?

Acho que sim, não é.

Nós dois adoramos, a fruta ficou super macia e a massa fofa. Agora eu preciso experimentar essa torta com outras frutas, já que não precisa ser enlatado, pode usar fruta natural também.

Espero que vocês gostem da receita e usem/abusem dos pêssegos em lata :)

Quarto preparado para o Natal {Vovó Mocinha}

Postado em Brincando de Casinha, Vovó Mocinha / Thursday, 12 de December de 2013

21 20 17
{Fotos do blog Sanna & Sania}

Olha que coisa mais fofa :)

Dá até vontade de decorar assim o quarto do filhote, não dá?

Eu só não abusaria da vela acesa, porque quem tem medo, evita algo que possa acontecer.

Para ver mais, clique aqui.

Kibe Assado Recheado

Postado em Receitas / Wednesday, 11 de December de 2013

Essa receita é maravilhosa para quem ama kibe mas está fungindo da fritura para o verão 2014 que nos espera!!!

Isso mesmo minha senhora, o famoso kibe assado ou kibe de forno, não leva fritura nenhuma e você prepara rapidinho para a sua família.

Kibe Assado ou Kibe de forno Recheado

quibeassado

Ingredientes para o kibe:

250 gramas de carne moída
250 gr de trigo para kibe
1 unidade de cebola ralada
1 maço de hortelã picado finamente
5 dentes de alho picados/triturado
quanto baste de sal
quanto baste de pimenta síria
3 colheres de sopa de margarina manteiga

Ingredientes para o recheio:

250 gramas de carne moída
1 unidade de cebola ralada
Alho, sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:

Lave o trigo para kibe e deixe-o de molho na água por no mínimo 2 horas.

Tire a água do trigo espremendo com as mãos. Para quem tem um processador, coloque a carne, o trigo, a cebola e Junte a carne moída, a cebola, o alho, hortelã, e os temperos e misture. Quem não tiver, corte tudo bem picadinho e misture bem.

No final, adicione a margarina e amasse mais um pouco a massa do kibe.

Corrija o tempero, e coloque metade da massa na fôrma.

Faça o recheio de carne: tempere a carne moída com cebola, alho e os temperos. Coloque o recheio em cima da massa e um pouco de azeite e termine colocando restante da massa em cima do recheio.

Por cima coloque uns pedacinhos de manteiga bem distribuidos e cubra a forma com papel alumínio ou papel manteiga.

Leve ao forno para assar em fogo médio por uma hora.