Foi a minha primeira tentativa em fazer algo de tricô para Aimê… e podemos dizer que teve mais erro do que acerto, mas que vale é a intenção e um cachorro quentinho nos dias frios :)

Eu, Naninha gordinha e tricoteira, acredito que cada cão é um cão, sempre melhor medir (se o cão deixar) antes de começar alguma coisa e eu fiz isso com a Aimê… só tive um problema, achei que a roupa ficou justa, mas dei uns pulinhos e consegui arruma-la para não perder o trabalho inteiro.

tricoroupacachorro1

Material: 2 novelos de lã e 2 pares de agulha numero 6.

Comecei fazendo 60 pontos na agulha e trabalhei dois pontos tricô e dois pontos meia, para fazer a gola da roupa.

Ah, como sempre, esqueço de contar quantas carreiras, mas o dela ficou com 5cm, porém a receita base que eu estava seguindo pedia +/- 3cm.

Depois que fiz a gola, adicionei 5 pontos no começo e mais 5 pontos no final e trabalhei o ponto meia até chegar a 4,5cm (mais ou menos)…

Nota Mental numero 1:  por causa dos pêlos da Aimê e se eu for fazer a próxima roupa, vou aumentar 10 a 15 pontos para cada lado.

tricoroupacachorro2

Agora chegou o momento critico: a abertura dos braços!!!

Você precisa trabalhar 12 pontos em tricô (o avesso da roupa), finalizar 4 pontos (juntar dois pontos e transformar em um), trabalhar 38 pontos em tricô, finalizar 4 pontos e trabalhar 12 pontos em tricô.

Nota mental numero 2: fazer 12 pontos em tricô, finalizar 6 pontos e assim vai… algo assim, já que achei que os braços ficaram apertadinhos.

Em seguida, você trabalha os 12 primeiros pontos, fazendo 11 carreiras.

Coloque esses doze pontos em uma outra agulha de tricô com a mesma numeração e prenda com alfinete, corte o fio da lã e reserve.

Retorne os 38 pontos, fazendo 11 carreiras e corte a lã.

Termine os últimos 12 pontos em tricô que ficaram na espera, fazendo 11 carreiras.

tricoroupacachorro3

Retomar todos os pontos e tricotar da seguinte maneira: trabalhe os 12 primeiros pontos, aumente 4 pontos, tricotar os 38 pontos, aumentar 4 pontos e finalizar os 12 pontos que sobraram na agulha (ufa!).

Depois é só continuar o ponto tricô conforme o tamanho do corpo do cão.

Para finalizar, termine a roupa com o ponto sanfona – fazendo 2 pontos meias e 2 pontos tricô. No meu caso foram 4cm altura para a finalização.

tricoroupacachorro4

Com uma agulha (usei de crochê), as linhas que sobraram, você faz um nó na roupa e corta. Eu ainda queimei a pontinha, algo que eu lembrei que a minha avó e mãe faziam.

Não fiz os bracinhos por achar que ficou bem apertadinho e nem quis finalizar com ponto baixo do crochê para ficar mais larguinho.

aimeroupa

Agora o momento desabafo: a Aimê está bem peluda, quando fui fechar com a costura… ficou muito apertado. Decidi arrumar com crochê, fazendo uma tirinha e costurando com o próprio crochê.

Eu sei, vocês podem me chamar de “loka das agulhas”, poderia ter feito essa parte no próprio tricô. Porém eu me irritei, cansei e a paciência deve ter voltado para São Paulo e parti para o crochê…

roupaatras

A modelo nesse dia não estava muito a fim dos flashs, fez até pouco caso com o biscoito… deve ter pensado “que saco mãe, me deixa quieta por favor” e eu tentando até fazer pirueta para ela fazer pose de modelo na passarela.

Não costurei a golinha, assim, ficou parecendo gola de blusa “de gente”, dobradinha e achei tão bonitinho, tão fashion ♥

Puro charme, até parece que é gente, coisa linda da mãe!

aimebeijo

Para finalizar essa tentativa de roupa, que na verdade virou roupa (vamos combinar?), a Aimê manda um beijo para vocês que lêem o blog da mãe!

Eu não sei se esse tutorial vai ajudar, ou atrapalhar mais a vida de vocês, mas o que vale é a intenção.

Ah, se você quer aprender tricô clique aqui e para as canhotas, é só clicar aqui.

Sabe aquela receita que aparência não é tudo, mas a danadinha é gostosa?

Lá estava eu, com maçãs na geladeira e com medo delas estragarem e com o friozinho nem tão frio do sul, valeu a pena ter feito essa torta.

Torta de Maçã Alemã (German Apple Cake)

tortademacaalema2

Receita é daqui.

Ingredientes:

1 xícara de chá de farinha
3/4 xícara de chá de açúcar
1 1/2 colher de chá de fermento em pó químico
1 pitada de sal
1 ovo
3 maçãs grandes
1/2 xícara de manteiga derretida

tortademacaalema

Modo de Preparo:

Numa tigela misture a farinha, açúcar, fermento em pó, sal e o ovo, até formar como uma farofa e reserve.

Unte bem uma fôrma desmontável ou fôrma para torta com manteiga.

Descasque e corte em fatias as maçãs (eu não descasquei, casca de maçã faz e não vamos desperdiçar).

No fundo da fôrma, coloque um pouco da massa e arrume as maçãs em cima dela. Cubra as maçãs com o restante da farofa e, por cima, derrame a manteiga derretida.

Polvilhe com açúcar e canela.

Leve ao forno até dourar.

Dica 1: A melhor fôrma de servir é quente e com sorvete.

Dica 2: Quando estiver descascando as maçãs, coloque as fatias em uma bacia com água e uma colher de sopa de suco de maçã. Assim evita que as fatias das maçãs escurecem.

Sabe uma mineira boa de papo? Super alto astral? É a Patrícia do blog Temperos pra Vida, estreando na vida de blogueira de “comidinha” com todo alegria!! Fizemos um blog (identidade e layout) bem fofo para ela começar a mandar super bem no conteúdo! Coloquei algumas fotinhassss de alguns posts só para vocês babarem e clicarem para conferir o que […]

temperospravida

Sabe uma mineira boa de papo? Super alto astral?

É a Patrícia do blog Temperos pra Vida, estreando na vida de blogueira de “comidinha” com todo alegria!!

temperospravida

Fizemos um blog (identidade e layout) bem fofo para ela começar a mandar super bem no conteúdo! Coloquei algumas fotinhassss de alguns posts só para vocês babarem e clicarem para conferir o que ela anda aprontando por lá. Deixem comentários e acompanhem, garanto que vocês vão ama-la também ;)

Quem estiver procurando um site ou blog bem bacana, podem falar conosco aqui:
contato@bdmp.com.br

Beijos e bom domingo (com gostinho de chimarrão?).

Eu sumi, sei e sei muito bem! Mas precisei desligar do mundo virtual e viver o mundo real, precisava colocar minha vida em ordem. Esse foi um dos desejos de aniversário que eu pude realizar quando fiz 35 anos no dia 22 de março. Nesse período aconteceu algumas coisas, momentos muitos particulares que eu não quero falar e a saudade da […]

Eu sumi, sei e sei muito bem!

Mas precisei desligar do mundo virtual e viver o mundo real, precisava colocar minha vida em ordem. Esse foi um dos desejos de aniversário que eu pude realizar quando fiz 35 anos no dia 22 de março.

Nesse período aconteceu algumas coisas, momentos muitos particulares que eu não quero falar e a saudade da família que aperta o coração e faz doer. Eu simplesmente precisava desligar, era obrigação, correr atrás das minhas coisas, organizar minha vida e viver!

Eu sei, eu sei… tudo tem seu preço, mas a recompensa também é muito grande, todos nós devemos ver o lado bom (ou forçamos pelo menos, porque a vida é assim, tudo tem seu lado bom e ruim) e admirar/agradecer o presente que a vida nos dá.

ceuportoalegre2

ceuportoalegre

Apesar do mundo não ser um conto cor de rosa, esse é o lado bom que eu sempre vejo e tenho do céu gaúcho: um céu colorido!

Tem dias que o céu me presenteia com esse rosa pink… ah gente, não tem como não se apaixonar!!!

Aqui no sul o pôr do sol é uma obrigação para maioria das pessoas no final de semana, é natural você ir para um parque ou praça no final da tarde com seu chimarrão, levando toda a família (e cachorros) e ver o sol fazer o seu espetáculo quando a lua toma o seu lugar.

É lindo e não pensa que são poucas pessoas que procuram a natureza para ver o grande espetáculo do céu, são muitas, que male male tu acha um lugar para sentar (nos bancos ou na grama). Ah, o frio também não é capaz de espantar esses admiradores do céu, já que muitas pessoas levam cobertores e ficam lá: pensando, conversando, curtindo e admirando mais um final de dia.

Por causa desse céu, a receita de hoje é rosa, bem rosinha! Ótima para você fazer para os seus filhos ou amigos, e para os mais criativos, inventar lanches bem coloridos!

Pão de beterraba

paodebeterraba
Ingredientes:

1 beterraba média cozida
1/2 xícara de chá de água
2 ovos
15g de fermento biológico
1 pitada de sal
2 colheres de sopa de açúcar
50g de manteiga
500g de farinha de trigo
Gema para pincelar

Modo de preparo:

Corte a beterraba em pedaços e bata no liquidificador com a água, acrescente os ovos, o fermento, o sal, o açúcar e a margarina e bata até ficar bem misturado.
Coloque em uma tigela e acrescente a farinha aos poucos, amassando até formar uma massa que desgrude das mãos.

Deixe a massa crescer até dobrar de volume (cerca de 30 minutos), modele o pão e coloque em uma assadeira untada com óleo.
Deixe crescer por mais 30 minutos, pincele com a gema e leve para assar em forno moderado (170° graus), por 30 a 35 minutos.

Esse foi um dos pratos que preparei com o arroz Carnaroli (tu já viu o post falando sobre os tipos de arroz para risoto? não? clique aqui), ficou tão saboroso!!! A carne aqui do sul também tem outro sabor, lembra muito a carne argentina e como diz o cliente vip “eu fiquei maníaca por carne”. Senhores bois, vacas e afins, […]

Esse foi um dos pratos que preparei com o arroz Carnaroli (tu já viu o post falando sobre os tipos de arroz para risoto? não? clique aqui), ficou tão saboroso!!!
A carne aqui do sul também tem outro sabor, lembra muito a carne argentina e como diz o cliente vip “eu fiquei maníaca por carne”. Senhores bois, vacas e afins, fujam para as montanhas, por que eu posso ser uma serial killer quando se trata da sua carne… oi?!

Vou parar de escrever besteira e segue a receita:

Risoto de Carne e Champignon

risotocarne

200 gramas de arroz arbóreo
1 cebola pequena corta bem miudinha
2 colheres de manteiga sem sal + 1 colher cheia para finalizar
1 taça de vinho branco seco
2 litros de caldo de carne
250 gramas de carne cortadas em cubinhos (na verdade, a quantidade de carne é conforme o gosto de freguês)
1 vidro ou saquinho de champignon
1 pacote de queijo parmesão
sal à gosto

Aqueça o caldo em um panela a parte.

Em uma outra panela aqueça as 2 colheres de manteiga. Adicione a cebola e a carne e refogue.

A partir daí a receita pede a sua atenção total e você não deve se afastar da panela. Aumente o fogo e adicione o arroz e comece a fritá-lo. Mexa ele constantemente para não queimá-lo (o arroz também não deve ficar dourado).

Depois de 2 ou 3 minutos diminua o fogo para médio e adicione o vinho branco sem parar de mexer. Nesta etapa todo o álcool da bebida vai evaporar e o vinho será absorvido pelo arroz.

Acrescente a primeira concha de caldo quente.

Você não deve parar de mexer, não se esqueça de esfregar o fundo da panela deixando o fundo bem limpo para que o arroz não grude.

Quando o caldo estiver secando, adicione mais caldo, até que o arroz fique cozido. Para saber se o arroz está cozido, vá experimentando o arroz e observando a sua textura.

Quando o arroz estiver no ponto, adicione o champignon e o queijo ralado e mexa, abaixe o fogo e experimente para ver se haverá necessidade de colocar sal (caso sim, coloque mais sal no risoto).

Desligue o fogo e adicione a última colher de manteiga, que deverá deve estar bem gelada, no centro da panela. Misture delicadamente, sem encostar a colher na manteiga, misturando o arroz pela lateral da panela, de forma que manteiga fique no meio e vá se desfazendo aos poucos. Deixe a panela tampada por 5 minutos antes de servir esse risoto lindo e saboroso.

{Foto Someday Crafts} Tem uma amiga minha (oi Eliene!!!) que anda fazendo toys muito fofos para o seu filho (e seus amigos e amigas), eu fico ali babando na dela pela criatividade dela. Esse tutorial é bem a cara dela e acredito que ela vai ler e correr para fazer! Já que ela ama uma girafa. Você já pensou em […]

IMG_5625
{Foto Someday Crafts}

Tem uma amiga minha (oi Eliene!!!) que anda fazendo toys muito fofos para o seu filho (e seus amigos e amigas), eu fico ali babando na dela pela criatividade dela.

Esse tutorial é bem a cara dela e acredito que ela vai ler e correr para fazer! Já que ela ama uma girafa.

Você já pensou em fazer os próprios brinquedos para o seu filho?

Isso é algo muito bacana e depois, você pode guardar e entregar para o seu neto… claro, se a criança não estragar o brinquedo.

Para ver esse tutorial, clique aqui e visite o blog Someday Crafts.

Esses dias eu comprei um saco de arroz para risoto e fiquei na dúvida entre o Carnaroli ou o Arbóreo… a diferença de preço não era muito grande, um real para ser exata  e o que fez eu levar o Carnaroli para casa foi a questão da marca do produto. Mas você sabia que existe mais de um tipo de […]

arrozderisoto

Esses dias eu comprei um saco de arroz para risoto e fiquei na dúvida entre o Carnaroli ou o Arbóreo… a diferença de preço não era muito grande, um real para ser exata  e o que fez eu levar o Carnaroli para casa foi a questão da marca do produto.

Mas você sabia que existe mais de um tipo de arroz para risoto?

Sim existe sim!!

Os tipos que vocês poderão encontrar por aqui são:

– Arroz Arbóreo: é o tipo de arroz mais comum e conhecido entre os brasileiros. Tem os grãos mais longos, é perfeitamente desenhado, mantém a forma quando cozido e não contém muita amilose, causando uma cremosidade menor em relação aos outros tipos de grão. Ele retém muito bem os sabores e atinge mais rápido o ponto de cocção, aproximadamente 15 minutos. O seu preço é o mais barato entre os outros tipos de arroz para risoto e combina com receitas que contém porções maiores de carne.

– Carnaroli: é o grão da foto e que eu comprei para preparar os risotos aqui em casa. Ele é o queridinho dos italianos, tem o grão relativamente médio, é mais fino do que o arbóreo e tem uma grande quantidade de amilose, o que dá uma excelente cremosidade ao prato. É um grão consistente, muito saboroso pela fácil absorção do caldo e costuma atingir o ponto de cocção em torno de 18 minutos.

– Vialone Nano: o grão mais curto, tem o formato arredondado, e é o que tem mais amilose, resultando em um risoto altamente cremoso. Entretanto o interior dos grãos continua firme no cozimento. O tempo de cocção é o mais longo, média de 20 minutos. Bom para risotos delicados, com ingredientes miúdos ou frutos do mar e que não costumam ser finalizados com queijo na Itália.

Por costume, eu sempre comprava o Arbóreo, acredito que no mercado que eu fazia compra não tinha tanta opção (o mercado não era dos melhores também).

Aqui no sul, é mais comum você encontrar variedades de produtos nos mercados grandes e tu meio que pira com tudo isso. É um verdadeiro paraíso e se tu não controlar, sai gastando mais que devia. Por causa disso, eu acabei me apaixonando pelo Carnaroli, virou o meu queridinho da cozinha e terá várias receitas novas de risoto por aqui :)

Agora eu preciso comprar o Vialone Nano, para dizer qual deles roubou o meu coração, completamente!!

Oi?!

Você quer as receitas que eu já fiz de risoto aqui no blog?

Segue aí: Risoto de Limão Siciliano, Risotto il Pollo ou Risoto de Frango, Risoto a Milanesa ou Risotto alla Milanese, Risotto de Lentilhas com Lingüiça Calabresa e Risoto de Ervilhas.

Gostei da idéia, da decoração e do estilo de vida, só não sei se vou gostar do balanço do mar… own!!!

Gostei da idéia, da decoração e do estilo de vida, só não sei se vou gostar do balanço do mar… own!!!

Sabe aquela receita que lembra a velha infância? Feita pela mamãe ou pela vovó? Ou até Natal? Essa foi uma maneira de matar saudades, adoro bolos com frutas caramelizadas e por favor, não vamos lembrar da dieta. Bolo de Abacaxi Caramelizado Massa: 2 xícaras de chá de açúcar 100g de margarina ou manteiga 4 ovos – claras separadas 1 xícara […]

Sabe aquela receita que lembra a velha infância? Feita pela mamãe ou pela vovó? Ou até Natal?

Essa foi uma maneira de matar saudades, adoro bolos com frutas caramelizadas e por favor, não vamos lembrar da dieta.

Bolo de Abacaxi Caramelizado

bolodeabacaxi

Massa:
2 xícaras de chá de açúcar
100g de margarina ou manteiga
4 ovos – claras separadas
1 xícara de chá de leite
3 xícaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
2 xícara de chá de açúcar
1 colher de sopa de água
Fatias de abacaxi

Primeiro comece com a calda: coloque o açúcar e 1 colher de água na assadeira que fará o bolo ou em uma panela, leve ao fogo e derreta o açúcar até formar uma calda de caramelo. Retire do fogo, e distribuía as fatias de abacaxi em cima do caramelo. Quem usou a panela, jogue o caramelo na forma e espalhe-o e depois adicione as fatias de abacaxi (cuidado para não se queimar nesse processo).

Reserve.

Na vasilha da batedeira, coloque o açúcar, as gemas e a manteiga e misture. Junte o leite e a bata até obter um creme homogêneo, desligue a batedeira.
Adicione a farinha e o fermento e bata novamente.
Coloque as claras em neve e mexa com cuidado com uma colher.
Coloque a massa na assadeira e leve ao forno pré-aquecido 180°c até dourar.
Desenforme o bolo ainda quente para não grudar na assadeira.

Uma dica: use a casca e as outras fatias de abacaxi que sobrou para fazer um belo suco geladinho.

Uma das nossas maiores dores de cabeça foi a questão a mudança: se era valido comprar tudo novo ou contratar uma empresa! De São Paulo para Porto Alegre, podemos dizer que a mudança valeu a pena usando o sistema de mudança compartilhada, que funciona assim: sua mudança vai junto com outras mudanças (de outras pessoas) e cada um paga sua […]

Uma das nossas maiores dores de cabeça foi a questão a mudança: se era valido comprar tudo novo ou contratar uma empresa!

De São Paulo para Porto Alegre, podemos dizer que a mudança valeu a pena usando o sistema de mudança compartilhada, que funciona assim: sua mudança vai junto com outras mudanças (de outras pessoas) e cada um paga sua parte por esse transporte.

Nós tínhamos pouca coisa para trazer, como maquina de costura, aspirador de pó, mesas, cadeiras, cama, maquina de lavar, geladeira, fogão, micro-ondas, tv, roupas, enxoval e etc; Se somássemos tudo ia sair muito caro, se fossemos comprar novos. Porém, uma mudança só nossa, sem compartilhamento, passaria a valer a pena comprar tudo por aqui… acredito que esse seja um dos motivos das pessoas desistirem de se mudar para outro lugar, porque é caro, muito caro.

Conseguimos negociar preços super bacanas de mudança compartilhada de várias empresas de transporte, porém, algumas não passaram confiança e tínhamos um grande problema: precisamos da nossas coisas o mais rápido possível.

Quando você contrata esse tipo de mudança, eles ficam com suas coisas durante 15 a 20 dias (sentiram o drama?) e a empresa que fechamos, acabou quebrando um bom galho de retirar as nossas coisas dois dias antes da mudança ir para a estrada (que foi no sábado) e que estaria sendo entregue na quinta-feira.

Em São Paulo foi tudo lindo e maravilhoso, eles cumpriram oque prometeram, o pessoal foi super profissional e ficamos felizes  de estarmos meio caminho andado da nossa grande mudança de vida.

Aqui em Porto Alegre, a história mudou e mudou muito.

A filial de São Paulo nos envia por e-mail informando que a mudança chegaria na quarta-feira e pedem para entrar em contato com a filial de Porto Alegre.

Quando eu liguei, fui informada que a mudança já estava no guarda-volumes deles e que não tinham previsão quando poderiam entregar. Informei que foi acordado em São Paulo que a nossa mudança estaria sendo entregue naquela semana e que precisava de uma data, já que estávamos hospedados na casa de amigos.

Assim, foi dois dias, a Dona Nana aqui sendo boazinha e pedindo um retorno… que nunca aconteceu, quem ligava era apenas eu para ter notícia de alguma coisa.

Chegou sexta-feira e eu ligo: “Oi fulana, amanhã vocês vão entregar minha mudança?” a fulana “Ah segunda-feira vai ter camin… oh não, não tem caminhão semana que vem, vocês terão que aguardar”.

Eu sei que comecei a chorar e a falar “preciso das minhas coisas, preciso trabalhar e vocês estão f******** a minha vida…”.  Logo o Cliente Vip ligou em seguida para eles e fala que eles tem até amanhã (sábado) para entregar ou senão, a coisa ia ficar feia! ( claro, um pouco menos “carinhoso” que o escrito aqui )

Resumo da ópera, a mudança foi entregue no sábado, porém, não montaram uma mesa que precisava montar. Como estávamos cansado dessa história toda, montamos nós mesmo e ficamos felizes.

Graças a Deus, nada foi quebrado e acho que tudo foi entregue, conforme conferimos, (sinto falta de um prato de bolo que até agora não achei e nem vou achar… também não lembro se dei para minha mãe ou se ficou em São Paulo).

Então a dica que eu dou: se vocês estão pensando em fazer uma mudança interestadual, contrate essas mudanças compartilhadas (o valor vale a pena), façam em um período de férias, que tenham um lugar para ficar por um bom tempo e se bobear, pense em fechar a mudança quando estiver fechando o contrato do aluguel ou a entrega do seu imóvel, já que demora, como demora para as suas coisas chegarem a sua nova casa.